Publicado Nov 28, 2019



PLUMX
Almetrics
 
Dimensions
 

Google Scholar
 
Search GoogleScholar
Descargas


Viviane Krein http://orcid.org/0000-0002-2768-6992

Sirlene Koprowski http://orcid.org/0000-0002-6661-2697

Antonio Zanin http://orcid.org/0000-0001-7837-7375

Sady Mazzioni http://orcid.org/0000-0002-8976-6699

Cristian Baú Dal Magro http://orcid.org/0000-0002-7609-5806

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Resumen

O objetivo do artigo é analisar a influência das características organizacionais na evidenciação de diferentes categorias de custos ambientais nas empresas brasileiras de capital aberto listadas na bolsa de valores do Brasil (B3). Para determinar o nível de evidenciação dos custos ambientais adotou-se a fração entre as expressões-chave e a quantidade de páginas, constantes nos relatórios de sustentabilidade divulgados pelas organizações em questão, referentes a 2017. Os achados indicam que o nível médio de evidenciação de informações sobre custos ambientais das empresas pesquisadas é de 24,90%. A categoria mais evidenciada é custos para controlar a ocorrência de impactos ambientais (14,70%). Conclui-se que a característica de tamanho organizacional exerce influência positiva nos níveis de evidenciação em todas as categorias; pertencer ao Índice de Sustentabilidade Empresarial, ser internacionalizada e ter uma auditoria big four melhoram a evidenciação acima mencionada; enquanto níveis mais elevados de governança corporativa estão relacionados com uma menor evidenciação.

Keywords

Organizational characteristics, environmental costs, Brazilian companiescaracterísticas organizacionales, costos ambientales, empresas brasileñascaracterísticas organizacionais, custos ambientais, empresas brasileiras

References
Almeida, M. A., & Santos, J. F. D. (2014). Disclosure voluntário de responsabilidade social corporativa das empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Gestão Social e Ambiental, 8(3), 69-88. http://10.5773/rgsa.v8i3.925

Batista, K. R., Melo, J. F., & Carvalho, J. R. (2016). Evidenciação dos itens ambientais nas empresas do setor de mineração de metálicos cadastradas na BM&FBOVESPA. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 5(1), 128-143. http:// 10.5585/geas.v5i1.296

Bomfim, E. T., Teixeira, W. D., & Monte, P. A. (2015). Relação entre o disclosure da sustentabilidade com a governança corporativa: um estudo nas empresas listadas no Ibrx100. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 10(1), 6-28. http://10.21446/scg_ufrj.v10i1.13341

Braga, C. (2007). Contabilidade ambiental: ferramenta para a gestão da sustentabilidade. Atlas, São Paulo, Brasil.

Callegari-Jaques, S. M. (2003). Distribuição qui-quadrado. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed.

Chandok, R. I., & Singh, S. (2017). Empirical study on determinants of environmental disclosure: Approach of selected conglomerates. Managerial Auditing Journal, 32(4-5), 332-355. https://doi.org/10.1108/MAJ-03-2016-1344

Coelho, F. Q., Ott, E., Pires, C. B., & Alves, T. W. (2013). Uma análise dos fatores diferenciadores na divulgação de informações voluntárias sobre o meio ambiente. Contabilidade Vista & Revista, 24(1), 112-130.

Cormier, D., Magnan, M., & Van Velthoven, B. (2005). Environmental disclosure quality in large German companies: economic incentives, public pressures or institutional conditions? European accounting review, 14(1), 3-39.

Durán, O., & Puglia, V. B. (2007). Scorecard ambiental: monitoração dos custos ambientais através da web. Ingeniare. Revista Chilena de Ingeniería, 15(3), 291-301. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-33052007000300009

Fagundes, A. B., Vaz, C. R., & Hatakeyama, K. (2009). A relação entre os custos e receitas ambientais como principal indicador do desempenho econômico-ambiental das organizações. Revista Produção Online, 9(3), 442-465. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v9i3.177

Fonseca, D., Machado, D. G., Costa, A. A., & Souza, M. A. (2016). Evolução da evidenciação de custos ambientais: um estudo em empresas do setor de papel e celulose – integrantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 5(2), 34-48. http://10.5585/geas.v5i2.403

Fortes, H. (2002). The need for environmental reporting by companies. Greener Management International, 40(1), 77-92.

Freitas, J. L., Pandolfo, A., Bordignon, S., & Kurek, C. (2017, dezembro). Custo ambiental: uma abordagem sobre o conceito e sua aplicação em uma indústria no processo de microfusão de aço. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, João Pessoa, PB, Brasil, 14.

Gamerschlag, R., Möller, K., & Verbeeten, F. (2011). Determinants of voluntary CSR disclosure: empirical evidence from Germany. Review of Managerial Science, 5(2-3), 233-262. https://doi.org/10.1007/s11846-010-0052-3

Gonçalves, M. N., Leonardo, V. S., Abbas, K., Okadi, K. L., & Munhoz, T.R. (2014). Expenditures results for the control of environmental impacts activity in sugarcane: identification, representativeness and disclosure. Custos e Agronegócio on line, 10(4), 345-368.

Grzebieluckas, C., Campos, L. M., & Selig, P. M. (2012). Contabilidade e custos ambientais: um levantamento da produção científica no período de 1996 a 2007. Produção, 22(2), 322-332. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132011005000054

Hansen, D. R., & Mowen, M. M. (2005). Environmental cost management. Management accounting, 7, 490-526.

Leal, P. H., Almeida, J. E. G. S., Feitosa, M. O., Almeida, T. A., Gusmão, C. R., & Pereira, R. S (2017, novembro). Disclosure de custos ambientais nas empresas potencialmente poluidoras listadas na BM&FBovespa. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Florianópolis, SC, Brasil, 24.

Leonardo, V. S., Abbas, K., & Bulla, P. R. (2013). Sistema de gestão ambiental como suporte na identificação dos custos com controle, preservação e recuperação do meio ambiente. Enfoque Reflexão Contábil, 32(3), 129-149. http:// 10.4025/enfoque.v32i3.21729

Liu, X., & Anbumozhi, V. (2009). Determinant factors of corporate environmental information disclosure: an empirical study of Chinese listed companies. Journal of cleaner production, 17(6), 593-600. http://10.1016/j.jclepro.2008.10.001

Luca, M. M., Moura, A. A., & Nascimento, F. S. (2012). Evidenciação voluntária de informações sociais por empresas de capital aberto no Brasil com base nos indicadores de responsabilidade social da ONU. Revista Alcance, 19(3), 362-380. http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v19n3.p362-380

Marquezan, L. H., Seibert, R. M., Bartz, D., Barbosa, M. A., & Alves, T. W. (2015). Análise dos determinantes do disclosure verde em relatórios anuais de empresas listadas na BM&FBovespa. Contabilidade, Gestão e Governança, 18(1), 127-150.

Mazzioni, S., Cofsevicz, C. M., Moura, G. D., Macêdo, F. F., & Kruger, S. D. (2017). Influência da governança corporativa na evidenciação voluntária de informações de natureza socioambiental. Revista Organizações em Contexto, 13(26), 311-338. http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v13n26p311-338

Monteiro, S. M. S., & Guzmán, B. A. (2010). Determinants of environmental disclosure in the annual reports of large companies operating in Portugal. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 17(4), 185-204. https://doi.org/10.1002/csr.197

Motta, R. S. (2006). Indicadores Ambientais no Brasil: aspectos ecológicos, de eficiência e distributivos. IPEA, Rio de Janeiro, Brasil.

Murcia, F. D., Fávero, L. P., Rover, S., Lima, G. A., & Lima, I. (2008). ‘Disclosure Verde’ nas demonstrações contábeis: características da informação ambiental e possíveis explicações para a divulgação voluntária. Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2), 260-278.

Qiu, Y., Shaukat, A., & Tharyan, R. (2016). Environmental and social disclosures: Link with corporate financial performance. The British Accounting Review, 48(1), 102-116. http://10.1016/j.bar.2014.10.007

Raiborn, C. A., Butler, J. B., & Massoud, M. F. (2011). Environmental reporting: toward enhanced information quality. Business Horizons, 54(5), 425-433. http://10.1016/j.bushor.2011.04.004

Ribeiro, M. (1998). O custeio por atividades aplicado aos gastos de natureza ambiental. Caderno de Estudos FIFECAFI, 10(19), 82-91. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511998000300007

Ricardo, V. S., Barcellos, S. S., & Bortolon, P. M. (2017). Relatório de sustentabilidade ou relato integrado das empresas listadas na BM&FBovespa: fatores determinantes de divulgação. Revista de Gestão Social e Ambiental, 11(1), 90-104. http://dx.doi.org/10.24857/rgsa.v11i1.1233

Rodrigues, J. M., Machado, D. G., & Cruz, A. P. C. (2011). Evidenciação de custos ambientais em empresas do segmento de adubos e fertilizantes. Revista Contemporânea de Contabilidade, 8(15), 63-86. http://10.5007/2175-8069.2011v8n15p63

Rossato, M. V., Trindade, L. L., & Brondani, G. (2009). Custos ambientais: um enfoque para a sua identificação, reconhecimento e evidenciação. Revista Universo Contábil, 5(1), 72-87.

Rover, S., Borba, J. A., & Borgert, A. (2008). Como as empresas classificadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) evidenciam os custos e investimentos ambientais? Revista Custos e agronegócio on line, 4(1), 2-25.

Rover, S., Borba, J. A., & Murcia, F. D. (2009). Características do disclosure ambiental de empresas brasileiras potencialmente poluidoras: Análise das demonstrações financeiras e dos relatórios de sustentabilidade do período de 2005 a 2007. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 7(1), 23-36. http://dx.doi.org/10.19094/contextus.v7i1.32101

Santana, L. M., Góis, A. D., Luca, M. M., & Vasconcelos, A. C. (2015). Relação entre disclosure socioambiental, práticas de governança corporativa e desempenho empresarial. Revista Organizações em Contexto, 11(21), 49-72. http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n21p49-72

Silva, J. O., Cunha, P. R., Klann, R. C., & Scarpin, J. E. (2010). Evidenciação dos custos ambientais nas empresas que compõem o índice de sustentabilidade empresarial (ISE). Revista Contemporânea de Contabilidade, 7(14), 159-182. http://10.5007/2175-8069.2010v7n14p159

Viana, D. B. C. Jr., & Crisóstomo, V. L. (2016). Nível de disclosure ambiental das empresas pertencentes aos setores potencialmente agressivos ao meio ambiente. Contabilidade, Gestão e Governança, 19(2), 254-273. http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2016v19n2a5

Viana, D. B. C. Jr., & Crisóstomo, V. L. (2017). Nível de disclosure socioambiental: uma análise comparativa entre empresas brasileiras de acordo com o potencial de agressão ao meio ambiente. Revista de Administração da UFSM, 10, 79-99. http://dx.doi.org/10.5902/1983465925301
Cómo citar
Krein, V., Koprowski, S., Zanin, A., Mazzioni, S., & Baú Dal Magro, C. (2019). Influencia de las características organizacionales en la divulgación de diferentes categorías de costos ambientales. Cuadernos De Contabilidad, 20(50), 1–20. https://doi.org/10.11144/Javeriana.cc20-50.icoe
Sección
Artículos