##plugins.themes.bootstrap3.article.main##


Viviane Krein http://orcid.org/0000-0002-2768-6992

Sirlene Koprowski http://orcid.org/0000-0002-6661-2697

Antonio Zanin http://orcid.org/0000-0001-7837-7375

Sady Mazzioni http://orcid.org/0000-0002-8976-6699

Cristian Baú Dal Magro http://orcid.org/0000-0002-7609-5806

Resumen

O objetivo do artigo é analisar a influência das características organizacionais na evidenciação de diferentes categorias de custos ambientais nas empresas brasileiras de capital aberto listadas na bolsa de valores do Brasil (B3). Para determinar o nível de evidenciação dos custos ambientais adotou-se a fração entre as expressões-chave e a quantidade de páginas, constantes nos relatórios de sustentabilidade divulgados pelas organizações em questão, referentes a 2017. Os achados indicam que o nível médio de evidenciação de informações sobre custos ambientais das empresas pesquisadas é de 24,90%. A categoria mais evidenciada é custos para controlar a ocorrência de impactos ambientais (14,70%). Conclui-se que a característica de tamanho organizacional exerce influência positiva nos níveis de evidenciação em todas as categorias; pertencer ao Índice de Sustentabilidade Empresarial, ser internacionalizada e ter uma auditoria big four melhoram a evidenciação acima mencionada; enquanto níveis mais elevados de governança corporativa estão relacionados com uma menor evidenciação.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Keywords

características organizacionales, costos ambientales, empresas brasileñas

References
Almeida, M. A., & Santos, J. F. D. (2014). Disclosure voluntário de responsabilidade social corporativa das empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Gestão Social e Ambiental, 8(3), 69-88. http://10.5773/rgsa.v8i3.925

Batista, K. R., Melo, J. F., & Carvalho, J. R. (2016). Evidenciação dos itens ambientais nas empresas do setor de mineração de metálicos cadastradas na BM&FBOVESPA. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 5(1), 128-143. http:// 10.5585/geas.v5i1.296

Bomfim, E. T., Teixeira, W. D., & Monte, P. A. (2015). Relação entre o disclosure da sustentabilidade com a governança corporativa: um estudo nas empresas listadas no Ibrx100. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 10(1), 6-28. http://10.21446/scg_ufrj.v10i1.13341

Braga, C. (2007). Contabilidade ambiental: ferramenta para a gestão da sustentabilidade. Atlas, São Paulo, Brasil.

Callegari-Jaques, S. M. (2003). Distribuição qui-quadrado. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed.

Chandok, R. I., & Singh, S. (2017). Empirical study on determinants of environmental disclosure: Approach of selected conglomerates. Managerial Auditing Journal, 32(4-5), 332-355. https://doi.org/10.1108/MAJ-03-2016-1344

Coelho, F. Q., Ott, E., Pires, C. B., & Alves, T. W. (2013). Uma análise dos fatores diferenciadores na divulgação de informações voluntárias sobre o meio ambiente. Contabilidade Vista & Revista, 24(1), 112-130.

Cormier, D., Magnan, M., & Van Velthoven, B. (2005). Environmental disclosure quality in large German companies: economic incentives, public pressures or institutional conditions? European accounting review, 14(1), 3-39.

Durán, O., & Puglia, V. B. (2007). Scorecard ambiental: monitoração dos custos ambientais através da web. Ingeniare. Revista Chilena de Ingeniería, 15(3), 291-301. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-33052007000300009

Fagundes, A. B., Vaz, C. R., & Hatakeyama, K. (2009). A relação entre os custos e receitas ambientais como principal indicador do desempenho econômico-ambiental das organizações. Revista Produção Online, 9(3), 442-465. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v9i3.177

Fonseca, D., Machado, D. G., Costa, A. A., & Souza, M. A. (2016). Evolução da evidenciação de custos ambientais: um estudo em empresas do setor de papel e celulose – integrantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 5(2), 34-48. http://10.5585/geas.v5i2.403

Fortes, H. (2002). The need for environmental reporting by companies. Greener Management International, 40(1), 77-92.

Freitas, J. L., Pandolfo, A., Bordignon, S., & Kurek, C. (2017, dezembro). Custo ambiental: uma abordagem sobre o conceito e sua aplicação em uma indústria no processo de microfusão de aço. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, João Pessoa, PB, Brasil, 14.

Gamerschlag, R., Möller, K., & Verbeeten, F. (2011). Determinants of voluntary CSR disclosure: empirical evidence from Germany. Review of Managerial Science, 5(2-3), 233-262. https://doi.org/10.1007/s11846-010-0052-3

Gonçalves, M. N., Leonardo, V. S., Abbas, K., Okadi, K. L., & Munhoz, T.R. (2014). Expenditures results for the control of environmental impacts activity in sugarcane: identification, representativeness and disclosure. Custos e Agronegócio on line, 10(4), 345-368.

Grzebieluckas, C., Campos, L. M., & Selig, P. M. (2012). Contabilidade e custos ambientais: um levantamento da produção científica no período de 1996 a 2007. Produção, 22(2), 322-332. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132011005000054

Hansen, D. R., & Mowen, M. M. (2005). Environmental cost management. Management accounting, 7, 490-526.

Leal, P. H., Almeida, J. E. G. S., Feitosa, M. O., Almeida, T. A., Gusmão, C. R., & Pereira, R. S (2017, novembro). Disclosure de custos ambientais nas empresas potencialmente poluidoras listadas na BM&FBovespa. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Florianópolis, SC, Brasil, 24.

Leonardo, V. S., Abbas, K., & Bulla, P. R. (2013). Sistema de gestão ambiental como suporte na identificação dos custos com controle, preservação e recuperação do meio ambiente. Enfoque Reflexão Contábil, 32(3), 129-149. http:// 10.4025/enfoque.v32i3.21729

Liu, X., & Anbumozhi, V. (2009). Determinant factors of corporate environmental information disclosure: an empirical study of Chinese listed companies. Journal of cleaner production, 17(6), 593-600. http://10.1016/j.jclepro.2008.10.001

Luca, M. M., Moura, A. A., & Nascimento, F. S. (2012). Evidenciação voluntária de informações sociais por empresas de capital aberto no Brasil com base nos indicadores de responsabilidade social da ONU. Revista Alcance, 19(3), 362-380. http://dx.doi.org/10.14210/alcance.v19n3.p362-380

Marquezan, L. H., Seibert, R. M., Bartz, D., Barbosa, M. A., & Alves, T. W. (2015). Análise dos determinantes do disclosure verde em relatórios anuais de empresas listadas na BM&FBovespa. Contabilidade, Gestão e Governança, 18(1), 127-150.

Mazzioni, S., Cofsevicz, C. M., Moura, G. D., Macêdo, F. F., & Kruger, S. D. (2017). Influência da governança corporativa na evidenciação voluntária de informações de natureza socioambiental. Revista Organizações em Contexto, 13(26), 311-338. http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v13n26p311-338

Monteiro, S. M. S., & Guzmán, B. A. (2010). Determinants of environmental disclosure in the annual reports of large companies operating in Portugal. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 17(4), 185-204. https://doi.org/10.1002/csr.197

Motta, R. S. (2006). Indicadores Ambientais no Brasil: aspectos ecológicos, de eficiência e distributivos. IPEA, Rio de Janeiro, Brasil.

Murcia, F. D., Fávero, L. P., Rover, S., Lima, G. A., & Lima, I. (2008). ‘Disclosure Verde’ nas demonstrações contábeis: características da informação ambiental e possíveis explicações para a divulgação voluntária. Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2), 260-278.

Qiu, Y., Shaukat, A., & Tharyan, R. (2016). Environmental and social disclosures: Link with corporate financial performance. The British Accounting Review, 48(1), 102-116. http://10.1016/j.bar.2014.10.007

Raiborn, C. A., Butler, J. B., & Massoud, M. F. (2011). Environmental reporting: toward enhanced information quality. Business Horizons, 54(5), 425-433. http://10.1016/j.bushor.2011.04.004

Ribeiro, M. (1998). O custeio por atividades aplicado aos gastos de natureza ambiental. Caderno de Estudos FIFECAFI, 10(19), 82-91. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511998000300007

Ricardo, V. S., Barcellos, S. S., & Bortolon, P. M. (2017). Relatório de sustentabilidade ou relato integrado das empresas listadas na BM&FBovespa: fatores determinantes de divulgação. Revista de Gestão Social e Ambiental, 11(1), 90-104. http://dx.doi.org/10.24857/rgsa.v11i1.1233

Rodrigues, J. M., Machado, D. G., & Cruz, A. P. C. (2011). Evidenciação de custos ambientais em empresas do segmento de adubos e fertilizantes. Revista Contemporânea de Contabilidade, 8(15), 63-86. http://10.5007/2175-8069.2011v8n15p63

Rossato, M. V., Trindade, L. L., & Brondani, G. (2009). Custos ambientais: um enfoque para a sua identificação, reconhecimento e evidenciação. Revista Universo Contábil, 5(1), 72-87.

Rover, S., Borba, J. A., & Borgert, A. (2008). Como as empresas classificadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) evidenciam os custos e investimentos ambientais? Revista Custos e agronegócio on line, 4(1), 2-25.

Rover, S., Borba, J. A., & Murcia, F. D. (2009). Características do disclosure ambiental de empresas brasileiras potencialmente poluidoras: Análise das demonstrações financeiras e dos relatórios de sustentabilidade do período de 2005 a 2007. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 7(1), 23-36. http://dx.doi.org/10.19094/contextus.v7i1.32101

Santana, L. M., Góis, A. D., Luca, M. M., & Vasconcelos, A. C. (2015). Relação entre disclosure socioambiental, práticas de governança corporativa e desempenho empresarial. Revista Organizações em Contexto, 11(21), 49-72. http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v11n21p49-72

Silva, J. O., Cunha, P. R., Klann, R. C., & Scarpin, J. E. (2010). Evidenciação dos custos ambientais nas empresas que compõem o índice de sustentabilidade empresarial (ISE). Revista Contemporânea de Contabilidade, 7(14), 159-182. http://10.5007/2175-8069.2010v7n14p159

Viana, D. B. C. Jr., & Crisóstomo, V. L. (2016). Nível de disclosure ambiental das empresas pertencentes aos setores potencialmente agressivos ao meio ambiente. Contabilidade, Gestão e Governança, 19(2), 254-273. http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2016v19n2a5

Viana, D. B. C. Jr., & Crisóstomo, V. L. (2017). Nível de disclosure socioambiental: uma análise comparativa entre empresas brasileiras de acordo com o potencial de agressão ao meio ambiente. Revista de Administração da UFSM, 10, 79-99. http://dx.doi.org/10.5902/1983465925301
Cómo citar
Krein, V., Koprowski, S., Zanin, A., Mazzioni, S., & Baú Dal Magro, C. (2019). Influencia de las características organizacionales en la divulgación de diferentes categorías de costos ambientales. Cuadernos De Contabilidad, 20(50), 1-20. https://doi.org/10.11144/Javeriana.cc20-50.icoe
Sección
Artículos
Artículos más leídos del mismo autor/a