##plugins.themes.bootstrap3.article.main##


Xiomara E. Vazquez Carrazana https://orcid.org/0000-0002-2338-337X

Gilberto José Miranda http://orcid.org/0000-0002-1543-611X

Resumen

Este artículo tiene como objetivo describir las tendencias en la producción científica brasileña en relación con la nueva normativa contable en el escenario económico nacional. Se emplearon elementos del método bibliométrico, mediante un proceso de recolección de datos en la plataforma electrónica Scientific Periodicals Electronic Library –SPELL–. Fueron seleccionadas revistas clasificadas como A2, B1 y B2 en el sistema Qualis (plataforma para la evaluación de los programas de post-graduación brasileños según su producción científica), en el periodo 2008-2017. El análisis realizado muestra el eminente carácter mercadológico del pensamiento de la época, en estrecha relación con la teoría de los mercados eficientes. Los artículos publicados marcan tendencias hacia el conservadurismo contable, la divulgación voluntaria y el análisis del desempeño económico.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Keywords

estudios brasileños, normativa contable, convergencia contable

References
Almeida, S., Silva, A., Costa, T. & Laurencel, L. (2011). Análise dos impactos das normas internacionais de contabilidade sobre o lucro líquido e o patrimônio líquido das empresas do setor de extração e processamento de recursos naturais. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 16(3), 136-156. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8825

Alvaro, M., Reis, M., Veras, M. & Cardoso, P. (2013). Impacto de la convergencia a las Normas Contables Internacionales en el Brasil sobre el contenido informacional de la contabilidad. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 7(3), 223-240. http://www.repec.org.br/index.php/repec/article/download/905/764

Alves, D., Kronbauer, C., Ott, E. & Thomaz, J. (2017). O Ensino dos CPCs nos cursos de Ciências Contábeis em Instituições de Ensino Superior do Brasil. Revista Contemporânea de Contabilidade, 14(32), 48-70. http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n32p48

Alves, P. & Moreira, J. (2009). The adoption of the international financial reporting standards in Portugal: Can expected costs be reduced? Revista Universo Contábil, 5(3), 156-164. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.20095

Ansótegui, A. (2010). Convergencia internacional en materia de subvenciones: referencia a los Derechos de Emisión de Gei. Revista Universo Contábil, 6(1), 156-170. http://www.spell.org.br/documentos/ver/6243

Araujo, L. & Reis, M. (2013). A produção científica sobre assimetria informacional em periódicos internacionais de contabilidade. Revista de Contabilidade e Controladoria, 5(1), 99-119. http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v5i1.29923

Arias, M. & Sánchez, A. (2011). Valuación de activos: una mirada desde las Normas Internacionales de Información Financiera, los Estándares Internacionales de Valuación y el contexto actual colombiano. Cuadernos de Contabilidad, 12(30), 95-126. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3112

Arias, M. & Sánchez, A. (2014). Bases de medición: correspondencia entre las Normas Internacionales de Información Financiera, los Estándares Internacionales de Valuación y el contexto actual colombiano. Cuaderno de Contabilidad, 15(37), 25-53. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/9001

Barbosa, J., Dias, W., & Pinheiro, L. (2009). Impacto da convergência para as IFRS na análise financeira: um estudo em empresas brasileiras de capital aberto. Contabilidade Vista & Revista, 20(4), 131-153. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8130

Barreto, D., Santos, R. & Tavares, M. (2017). Uma Análise de Conteúdo das Cartas Comentários Enviadas por Empresas para as Alterações da Seção 1 - Objetivo da elaboração e divulgação de relatório contábil-financeiro de propósito geral da estrutura conceitual proposta pelo IASB. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 7(2), 176-196. http://dx.doi.org/10.18028/2238-5320

Black, R. & Nakao, S. (2017). Heterogeneidade na qualidade do lucro contábil entre diferentes classes de empresas com a adoção de IFRS: evidências do Brasil. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 28(73), 113-131. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201702750

Bourdieu, P. (1976). Le champ scientifique. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, 2, 88-104. https://doi.org/10.3406/arss.1976.3454

Brunozi, A., Coelho, D., Ott, E., Arenhal, L. & Lima, F. (2017). Persistência e value relevance dos resultados contábeis com a adoção das IFRS: um estudo em empresas de países do GLENIF. Ref. Cont. 36(3), 33-51. http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v36i3.31820

Callado, A., Moller, H., Callado, A., & Leitão, C. (2010). Relações entre índices de mercados acionários: uma análise empírica a partir da ótica da causalidade. Reuna, 15(3), 54-68. http://www.spell.org.br/documentos/ver/5566

Camargos, B., Taboada, L. & Moura, W. (2012). Evidenciação de Ativos Intangíveis: Estudo Empírico em Companhias Abertas, Revista de Contabilidade e Organizações, 6(14), 22-45. http://www.spell.org.br/documentos/ver/7628

Campos, G. & Scherer, L. (2001). Lucro por ação. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 12(26), 81-94. http://www.spell.org.br/documentos/ver/24085

Cano, A. (2010). Análisis de la norma internacional de contabilidad (NIIF/NIC) No. 8 (Políticas contables, cambios en las estimaciones contables y errores) y sus principales efectos en el Estatuto Tributario colombiano. Cuadernos de Contabilidad, 11(28), 123-147. Disponible en: http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3200

Cardoso, R., Souza, F. & Dantas, M. (2015). Impactos da Adoção do IFRS na Acumulação Discricionária e na Pesquisa em Gerenciamento de Resultados no Brasil. Revista Universo Contábil, 11(2), 65-84. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.201521

Carvalho, C., Albuquerque, F., Quirós, J. & Justino, M. (2015). Uma Análise das Diferenças em Termos dos Interesses Profissionais a Partir do Projeto de Substituição da IAS 39. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 26(68), 181-194. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201500530

Carvalho, P., Costa, A., & Goulart, A. (2008). Analise técnica versus hipótese dos mercados eficientes: um estudo utilizando o indicador MACD. Revista Alcance, 15(3), 397-415. http://www.spell.org.br/documentos/ver/2673/analise-tecnica-versus-hipotese-dos-mercados-eficientes--um-estudo-utilizando-o-indicador-macd/i/pt-br

Castro, V., Morch, R., & Marques, J. (2008). Fair value Accounting: uma análise sobre a evolução do conceito de valor justo entre as normas internacionais e as normas brasileiras. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 3(1), 112-126. http://www.spell.org.br/documentos/ver/34214

Cerqueira, D., Rezende, A., Dalmácio, F., & Silva, J. (2012). O impacto do reconhecimento do custo atribuído e da divulgação de impairment de ativos tangíveis e intangíveis (IFRS) sobre os preços e os retornos das ações das companhias brasileiras. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(3), 5-23. http://www.spell.org.br/documentos/ver/9331

Consoni, S. & Colauto, R. (2016). A divulgação voluntária no contexto da convergência às Normas Internacionais de Contabilidade no Brasil. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 18(62), 658-677. http://dx.doi.org/10.7819/rbgn.v18i62.2242

Consoni, S., Colauto, D., & Lima, F. (2017). A divulgação voluntária e o gerenciamento de resultados contábeis: evidências no mercado de capitais brasileiro. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 28(74), 249-263. https://doi.org/10.1590/1808-057x201703360

Costa, J., Theóphilo, C., & Yamamoto, M. (2012). A aderência dos Pronunciamentos Contábeis do CPC às normas internacionais de contabilidade. Contabilidade, Gestão e Governança, 15(2), 110-126. https://cgg-amg.unb.br/index.php/contabil/article/view/482

Costa, T., Almeida, S., & Silva, A. (2013). Uma análise dos impactos da adoção das Normas Internacionais de Contabilidade no Brasil: um estudo de empresas de capital aberto no setor de bebidas, alimentos e comércio. Pensar Contábil, 15(56), 4-13. http://www.atena.org.br/revista/pensarcontabil/article/view/1539/1376

Costa, T., Silva, A. & Laurencel, L. (2013). Escolha de práticas contábeis: um estudo sobre propriedades para investimento em empresas brasileiras não financeiras de capital aberto. Revista de Contabilidade e Organizações, 18, 26-36. https://doi.org/10.11606/rco.v7i18.55429

Cunha, L., Guidini, A. & Klann, R. (2017). A disciplina de teoria da contabilidade e a convergência às normas internacionais de contabilidade: percepção dos professores dos programas de pós-gradução stricto sensu em Contabilidade. Pensar Contábil, 19(68), 4-16. http://www.spell.org.br/documentos/ver/45603

Da Cunha, A., Gomes, V. & Veras, M. (2013). Adoção do valor justo para os ativos biológicos: análise de sua relevância em empresas brasileiras, Revista Universo Contábil, 9(4),110-127. http://www.spell.org.br/documentos/ver/20056

Dalmutt, S., Mazzioni, S., Bordignon, A. & Guabiani, C. (2014). Tratamento contábil dos ativos biológicos e produtos agrícolas em Cooperativas de Santa Catarina, Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, 4(3), 42-61. http://www.spell.org.br/documentos/ver/38195

Dantas, J., Rodrigues, F., Niyama, J. & Mendes, P. (2010). Normatização contábil baseada em princípios ou em regras? Benefícios, custos, oportunidades e riscos. Revista de Contabilidade e Organizações, 4(9), 3-29. https://doi.org/10.11606/rco.v4i9.34765

Daza, J. (2015). Análisis de la interrelación crecimiento-rentabilidad en Brasil. Tourism & Management Studies, 11(2), 182-188. http://dx.doi.org/10.18089/tms.2015.11222

De Aguiar, C. & Hiroshi, S. (2017). Previsão dos analistas e adoção dos padrões IFRS em petrolíferas mundiais. Revista Universo Contábil, 13(2), 6-24. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2017206

De Menesse, F., Rodrigues, V. & Vasconcelos, P. (2013). Determinantes do nível de Disclosure de ativos intangíveis em empresas brasileira, BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 10(2), 142-153. http://www.spell.org.br/documentos/ver/10609

Dias, G., Siqueira, P. & Beuren, I. (2014). Conformidade do Disclosure Obrigatório dos ativos intangíveis e práticas ram. Revista de administração Mackenzie, 15(5), 140-170. http://dx.doi.org/10.1590/1678-69712014

Dias, W., Cunha, J., & Mário, P. (2009). Plano de incentivo em opções de ações e a harmonização contábil: estudo do nível de disclosure das empresas brasileiras após o CPC 10. Pensar Contábil, 11(46), 29-38. http://www.spell.org.br/documentos/ver/111

Domingos, S., Lima, S. & Ponte, V. (2013). Income Smoothing: um estudo após a adoção do I FRS no Brasil. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 11(2), 181-199. http://www.spell.org.br/documentos/ver/25513

Einsweiller, A. & Fischer, A. (2013). Efeitos da aplicação de valor justo no ativo biológico de uma empresa do ramo de celulose e papel. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 12(37), 24-34. http://www.spell.org.br/documentos/ver/33225

Estima, I. & Mota, M. (2015). Principais Consequências da Adoção das IFRS: Análise da literatura existente e sugestões para investigação futura. Contabilidade & Finanças, 26(68), 126-139. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201500090

Fé Júnior, A., Nakao, S., & Ribeiro, M. (2015). Reações do Mercado Acionário na Primeira Divulgação Financeira em IFRS do Setor Bancário Brasileiro: um estudo de evento. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 13(3), 81-110. http://www.spell.org.br/documentos/ver/39226

Fé, R., Vaz de Lima, D., & Oliveira, L. (2012). Processo de reconhecimento e mensuração do ativo imobilizado no setor público face aos padrões contábeis internacionais: um estudo de caso na Anate. Revista Universo Contábil, 8(3), 62-81. http://www.spell.org.br/documentos/ver/7844

Fernandes, L., Santos, F., Pereira, R., & Szuster, N. (2008). Uma abordagem sobre a harmonização entre a contabilidade brasileira e a internacional: o caso da parada programada. Revista Contemporânea de Contabilidade, 5(9), 49-70. http://www.spell.org.br/documentos/ver/35384

Figlioli, B., Lemes, S., & Lima, F. (2017). IFRS, Sincronicidade e crise financeira: a dinâmica da informação contábil para o mercado de capitais brasileiro. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 28(75), 326-343. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201704450

Francis, J., Lafond, R., Olsson, P., & Schipper, K. (2005). The market pricing of accruals quality. Journal of Accounting and Economics, 39(2), 295-327. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2004.06.003

Fuji, A. (2008). Contabilização de Títulos e Valores Mobiliários: uma comparação entre as normas brasileiras, do FASB e do IASB. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 19(47), 112-123. http://www.spell.org.br/documentos/ver/6351

Gómez, M. (2013). El reconocimiento contextual y el aprendizaje de las publicaciones internacionales en contabilidad. Cuadernos de Contabilidad, 14(34), 273-284. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/6078.

Gonçalves, K., Conegliam, L., & Carmo, C. (2017). Value relevance das propriedades para investimento: evidências do mercado de capitais brasileiro. Contabilidade, Gestão e Governança, 20(1), 2-19. http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n1a1

Grecco, M. (2013). O efeito da convergência brasileira às IFRS no gerenciamento de resultados das empresas abertas brasileiras não financeiras. Brazilian Business Review, 10(4), 117-140. http://www.spell.org.br/documentos/ver/17676

Haveroth, J., Nez, E. Bilk, & Klann, R. (2017). Características e perspectivas internacionais dos diversos grupos de interesses em relação à IFRS SME’s. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 11(4), 430-450. http://dx.doi.org/10.17524/repec.v11i4.1636

Homero, P. F. (2017). A Constituição do campo científico e a baixa diversidade da pesquisa contábil brasileira. REPEC, Brasília, 11(3), 314-328. http://dx.doi.org/10.17524/repec.v11i3.1565

Ito, E., Mendes, P., & Niyama, J. (2008). Controle de qualidade dos serviços de auditoria independente: um estudo comparativo entre as normas brasileiras e as normas internacionais. Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2), 312-328. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8449

Joia, R. & Nakao, S. (2014). Adoção de IFRS e gerenciamento de resultado nas empresas brasileiras de capital aberto. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 8(1), 22-38. http://www.spell.org.br/documentos/ver/28993

Klann, R. & Beuren, I. (2010). Reflexos das divergências entre IFRS e US GAAP na evidenciação contábil. Advances in Scientific and Applied Accounting, 3(1), 2-40. http://www.spell.org.br/documentos/ver/14488

Klann, R., Popik, F., Kreuzberg, F. & Gonçalves, N. (2014). Fatores relacionados ao nível de divulgação de ativos intangíveis após a adoção das IFRS por Empresas do IGC da BM&FBOVESPA. Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, 13(38), 37-51. http://www.spell.org.br/documentos/ver/33220

Klein, L. & Almeida, L. (2017). A influência dos fatores contingenciais na adoção de práticas de contabilidade gerencial nas indústrias Paranaenses. Revista Universo Contábil, 13(3), 90-119. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2017320

Lafond, R. & Watts, L. (2008). The information role of conservatism. The Accounting Review, 83(2), 447-478. http://dx.doi.org/10.2308/accr.2008.83.2.447

Lara, G., Osma, G., & Penalva, F. (2014). Information consequences of accounting conservatism. European Accounting Review, 23(2), 173-198. https://doi.org/10.1080/09638180.2014.882263

Lima, L. (2011). A representação das múltiplas dimensões paradigmáticas no estudo da administração: um ensaio sobre os limites contidos nas defesas paradigmáticas excludentes. Revista de Administração Contemporânea, 15(2), 198-208. https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200003.

Lopes, A. & Alencar, R. (2010). Disclosure and cost of equity capital in emerging markets: the Brazilian case. International Journal of Accounting, 45(4), 443-464. https://doi.org/10.1016/j.intacc.2010.09.003

Loureiro, D., Gallon, A., & Luca, M. (2011). Subvenções e Assistências Governamentais (Sag): evidenciação e rentabilidade das maiores empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(13), 34-54. http://www.spell.org.br/documentos/ver/4943

Lourenço, I. & Branco, M. (2015). A Governança Corporativa e o efeito da adoção das IFRS: o caso brasileiro. Revista Universo Contábil, 11(1), 157-172. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2015108

Luzivalda, G., & Edilson, P. (2017). Meta-análise dos Efeitos da Adoção das IFRS na Qualidade da Informação Contábil no Brasil. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 22(1), 28-48. http://www.spell.org.br/documentos/ver/48337

Macedo, M., Machado, M., & Machado, M. (2013). Análise da relevância da informação contábil no Brasil num contexto de convergência às normas internacionais de contabilidade. Revista Universo Contábil, 9(1), 65-85. http://www.spell.org.br/documentos/ver/9664

Machado, M. & Nakao, S. (2014). Influência das diferenças culturais, econômicas e sociais na adoção das IFRS. Revista Universo Contábil, 10(1), 104-125. http://www.spell.org.br/documentos/ver/29020

Macías, H. & Cortés, J. (2009). El campo de la investigación contable: oportunidades para los investigadores colombianos. Cuadernos de Contabilidad, 10(26), 21-50. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3216

Magalhães, R., Pinheiro, L., & Lamounier, W. (2011). Fatores que favorecem a compreensão da extensão da divulgação sobre partes relacionadas – estudo nas companhias listadas no novo mercado da BM&FBovespa. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 6(3), 22-37. http://www.spell.org.br/documentos/ver/33869

Maia, H., Formigoni, H., & Silva, A. (2012). Empresas de auditoria e o compliance com o nível de evidenciação obrigatório durante o processo de convergência às Normas Internacionais de Contabilidade no Brasil. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 14(44), 335-352. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8694

Major, M. (2017). O positivismo e a pesquisa ‘alternativa’ em Contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 28(74), 173-178. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201790190.

Mantovani, E. & Almeida, F. (2014). A Contabilização do Ativo Intangível nas 522 Empresas Listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Administ ração e Inovação, 11(3), 311-328. http://www.spell.org.br/documentos/ver/34305.

Margarete, L. & Klann, R. (2015). Disclosure obrigatório de ativos intangíveis das companhias listadas nos níveis de governança corporativa da Bm&FBovespa. Pensar Contábil, 62(45), 45-54. http://www.spell.org.br/documentos/ver/37280

Mejía, E., Mora, G., & Montes, A. (2013). Adscripción de la contabilidad en la estructura general del conocimiento. Cuadernos de Contabilidad, 14(34), 159-187. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/6072

Mendonça, O., Riccio, E., & Sakata, M. (2009). Dez anos de pesquisa contábil no Brasil: análise dos trabalhos apresentados nos ENANPADs de 1996 a 2005. Revista de Administração de Empresas, 49(1), 62-73. https://doi.org/10.1590/S0034-75902009000100008.

Moraes, F. & Carvalho, K. (2014). Escolhas contábeis na adoção inicial das Normas Internacionais de Contabilidade no Brasil: direcionadores da aplicação do custo atribuído para ativos imobilizados. Revista Contabilidade Vista & Revista, 25(3), 38-56. http://www.spell.org.br/documentos/ver/35254

Moreira, C. & Lima, A. (2003). A evidenciação dos derivativos no Brasil: uma tentativa de convergência para procedimentos internacionais. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 8(1), 81-97. http://www.spell.org.br/documentos/ver/27234

Moura, A. & Coelho, A. (2016). Impacto de mudanças em padrões contábeis em indicadores de endividamento de firmas: evidências no Brasil. Brazilian Business Review, 13(5), 27-51. http://dx.doi.org/10.15728/bbr.2016.13.5.2

Murcia, F., Silva, A., Barreto, E., & Carvalho, L. (2008). Conjectures regarding the adoption of fair value measurements in Brazil. Revista Contemporânea de Contabilidade, 5(9), 11-28. http://www.spell.org.br/documentos/ver/35382

Nascimento, A., Junqueira, E., & Martins, G. (2010). Pesquisa acadêmica em contabilidade gerencial no Brasil: análise e reflexões sobre teorias, metodologias e paradigmas. Revista de Administração Contemporânea, 14(6), 1113-1133. https://doi.org/10.1590/S1415-65552010000700008

Niyama, J., Barbosa, E., Cavalcanti, R. & Leite, D.(2002). Contabilização das operações de leasing: avaliação do nível de aderência da Norma Técnica 10.2 do Conselho Federal de Contabilidade à luz das Normas Internacionais de Contabilidade do IASB. Contabilidade Vista & Revista, 13(3), 21-34. http://www.spell.org.br/documentos/ver/25175

Nunes, I., Funchal, B., & Beiruth, A. (2017). A Lei de Falências e a Estratégia de endividamento das empresas brasileiras: um estudo sobre o uso da Teoria do Pecking Order e da Teoria do trade-off. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 12(1), 26-43. http://www.spell.org.br/documentos/ver/45035

Oliveira, N., Nakao, S., & Nardi, P. (2017). Análise da Influência das firmas de auditoria na divulgação de informações em notas explicativas. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, 14(2), 139-154. http://dx.doi.org/10.4013/base.2017.142.05

Perea, S. (2015). Perspectiva crítica del valor razonable en el marco de la crisis financiera. Cuadernos de Contabilidad, 16(42), 761-779. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/17392

Pereira, R. & Marques, J. (2009). Comentários sobre a evidenciação das operações de arrendamento mercantil no contexto da convergência com as práticas contábeis internacionais: o caso da Petróleo Brasileiro S/A. Pensar Contábil, 11(43), 45-54. http://www.spell.org.br/documentos/ver/100

Peruchena, J., Shneider, L., & Kronbauer, L. (2015). Estudo das normas e práticas contábeis adotados pelas empresas industriais do Mercosul e Comunidade Andina: convergência referente a mensuração e evidenciação das propriedades para investimento. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 19(3), 2-18. http://www.spell.org.br/documentos/ver/37262

Pires, C. & Decourt, R. (2015). Os impactos da fase final de transição para o IFRS no Brasil. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 17(54), 736-750. http://dx.doi.org/10.7819/rbgn.v17i54.1475

Pires, J., Pereira, M., Katsumi, J. & Tiburcio, C. (2017). Adoção ao padrão IFRS e earnings quality: a persistência do lucro das empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Contabilidade e Organizações, 29, 46-55. http://dx.doi.org/10.11606/rco.v11i29.125846.

Pito, T. & Barros, J. (2016). A aplicação das normas contabilísticas de “justo valor” nas demonstrações de resultados das empresas integradas no Portuguese Stock Index-20 (PSI-20). Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 18(59), 67-86. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1806-48922016000100067&script

Poli, A., Doná, L. & Neumann, M. (2014). Disclosure da perda por impairment aplicado ao ativo imobilizado: análise nas companhias do IBrX-501. Ref Cont, 33(1), 1-18. http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v33i1.21557

Ramos, D. & Da Silva P. (2017). Nível de Disclosure do CPC 29 Ativos Biológicos: Análise dos fatores determinantes nas companhias brasileiras. Contabilidade, Gestão e Governança, 20(1), 38-54. http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n1a3

Rech, I., Vieira, I., Ribeiro, & Oliveira, J. (2008). Impostos diferidos na atividade pecuária originados da avaliação dos ativos biológicos pelo valor justo: um estudo de seu reconhecimento e evidenciação nas maiores propriedades rurais do Estado de Mato Grosso. Revista Universo Contábil, 4(2), 42-58. http://www.spell.org.br/documentos/ver/6155

Rezende, C., Almeida, N., & Lemes, S. (2015). Impacto das IFRS na assimetria de informação evidenciada no mercado de capitais brasileiro. Revista de Contabilidade e Organizações, 9(24), 18-30. http://dx.doi.org/10.11606/rco.v9i24.55524

Rosa, A. & Alcadipani, R. (2013). A terceira margem do rio dos estudos críticos sobre administração e organizações no Brasil: repensando a crítica a partir do pós-colonialismo. Revista de Administração Mackenzie, 14(6), 185-215. https://doi.org/10.1590/S1678-69712013000600009

Rueda, G. (2010). El papel de la contabilidad ante la actual realidad económica, social y política del país. Más allá de la convergencia de prácticas mundiales. Cuadernos de Contabilidad, 11(28), 149-169. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3202

Ruiz, G. (2008). Las normas internacionales de contabilidad y la contabilidad creativa. Cuaderno de Contabilidad, 9(24), 251-301. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3250

Sá, F. & Malaquias, R. (2012). Análise da percepção dos discentes do curso de graduação em ciências contábeis sobre expressões de incerteza contidas nos pronunciamentos emitidos pelo comitê de pronunciamentos contábeis. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(14), 77-105. http://www.spell.org.br/documentos/ver/7630

Salazar, E. (2009). Comparación entre la Norma Internacional de Información Financiera para pequeñas y medianas entidades (NIIF para PYME) y la normatividad colombiana. Cuadernos de Contabilidad, 10(27), 361-430. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3213

Sánchez, A. & Salazar, E. (2010). Convergencia contable internacional: hacia un nuevo modelo de contabilización de arrendamientos. Cuaderno de Contabilidad, 11(28), 67-121. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3177

Santiago, J., Cavalcante, P., & Paulo, E. (2015). Análise da persistência e conservadurismo no processo de convergência internacional nas empresas de capital aberto do setor de construção no Brasil. Revista Universo Contábil, 11(2), 174-195. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2015217

Santos, E. & Cia, J. (2009). Impactos esperados da harmonização internacional no lucro das empresas brasileiras, na proxy dos ajustes BRGAAP/USGAAP reportados pelas emissoras de ADRS na NYSE. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(6), 57-80. http://www.spell.org.br/documentos/ver/4881

Santos, E. (2012). Análise dos impactos dos CPCS da primeira fase de transição para o IFRS no Brasil: um exame dos ajustes aos resultados nas DFPS de 2008. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(15), 23-43. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8540

Santos, E. (2015). Impacto total da implementação do IFRS no lucro e patrimônio líquido das empresas brasileiras. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, 12(3), 225-241. http://dx.doi.org/10.4013/base.2015.123.05

Santos, L., Lima, G., Freitas, S., & Lima, I. (2011). Efeito da Lei 11.638/07 sobre o conservadurismo condicional das empresas listadas BM&FBovespa. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 22(56), 174-188. http://dx.doi.org/110.1590/S1519-70772011000200004.

Santos, O. & Silva, P. (2014). Os métodos contábeis dos esforços bem-sucedidos capitalização total: um estudo sob a perspectiva do Value Relevance. Enfoque Reflexão Contábil, 33(2), 121-138. http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v33i2.22307

Sayed, S., Souza, B., Costa, J. & Tancini, G. (2013). Simulação dos impactos da alteração da norma internacional de instrumentos financeiros (IFRS 9) nos maiores bancos brasileiros. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(1), 50-63. http://www.spell.org.br/documentos/ver/33736

Scalzer, R., Beiruth, A., & Reina, D. (2017). Empresas Estatais e Conservadurismo Contábil: Uma Análise das Empresas da BM&FBovespa. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 23(2), 333-350. http://dx.doi.org/10.1590/1413.2311.076.62934

Schrickel, W. (1997). Demonstrações financeiras. Abrindo a caixa-preta: como interpretar balanços para a concessão de empréstimos. São Paulo: Editorial Atlas.

Schwarz, D., Barbosa, A., & Freitas, M. (2019). Fatores determinantes da divulgação voluntária ‘Web-Based’ das companhias brasileiras de saneamento básico. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 7(2), 118-141. https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-1001.2019v7n2.39791

Silva Filho, G., Lucena, W. & Leite Filho, P. (2017). Efeito do reconhecimento do Fair Value Accounting nas decisões de venda diante da influência dos vieses cognitivos: um estudo à luz da Prospect Theory. PensarContábil, 19(69), 40-53. http://www.spell.org.br/documentos/ver/46942

Silva, A., Heinzen, C., Klann, R. C., & Lemes, S. (2018). Relação entre o Conservadurismo Contábil e a Relevância das Informações. Advances in Scientific and Applied Accounting, 11(3), 502-516. http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2018110308

Silva, A., Macedo, M. & Marques, J. (2012). Análise da relevância da informação contábil no setor brasileiro de energia elétrica no período de 2005 a 2007: uma discussão com foco nas variáveis II, FCO e EBITDA. Revista Universo Contábil, 8(2), 6-24. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.2012210

Silva, C., Ramos, F., Mendonça, K., & Nascimento, S. (2003). Uma abordagem sobre as transformações de sociedades e a necessidade de harmonização de normas contábeis. Contabilidade Vista & Revista, 14(ed. especial), 123-143. http://www.spell.org.br/documentos/ver/25241

Silva, F., Couto, G., & Cordeiro, R. (2009). Measuring the impact of International Financial Reporting Standards (IFRS) to financial information of Portuguese companies. Revista Universo Contábil, 5(1), 129-144. http://dx.doi.org/10.4270/ruc.20095

Silva, J. (2011). Demonstrações contábeis consolidadas: uma análise comparativa das Normas Brasileiras (BRGAAP) e Internacionais (IFRS). Pensar Contábil, 13(51), 26-34. http://www.atena.org.br/revista/pensarcontabil/article/view/962

Silva, J., Bonfim, M., Niyama, J. & Silva, C. (2017). Adoção ao Padrão IFRS e Earnings Quality: a persistência do lucro das empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Contabilidade e Organizações, 11(29), 46-55. http://dx.doi.org/10.11606/rco.v11i29.125846

Silva, J., Borges, T., Gonçalves, R. & Nascimento, D. (2017). Convergência ao Padrão IFRS e suavização de resultados em Empresas de Energia Elétrica. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, 14(4), 281-296. http://dx.doi.org/10.4013/base.2017.144.04

Silva, J., Fonseca, L., & Nogueira, D. (2014). Nível de conformidade do pronunciamento CPC 28: uma análise nas companhias abertas brasileiras. Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC, 13(40), 54-66. http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v13n40p54-66

Silva, T. & Nakao, S. (2011). Divulgação na adoção pela primeira vez de IFRS por empresas europeias de setores e sistemas jurídicos diferentes. Contabilidade Vista & Revista, 22(2), 93-124. http://www.spell.org.br/documentos/ver/8170

Silva, B. (2014). La información financiera como factor clave en el mercado de capitales: una reflexión sobre las modificaciones en el marco conceptual del IASB. Estrategias, 12(22), 51-62. https://www.researchgate.net/publication/292991727

Silveira, A., Leal, R., Barros, L. & Carvalhal-da-Silva, A. (2009). Evolution and determinants of firm-level corporate governance quality in Brazil. Revista de Administração, 44(3), 173-189. http://www.spell.org.br/documentos/ver/7292

Sosa, J. (2013). Reflexiones en torno a las experiencias del proceso de convergencia hacia normas internacionales de aseguramiento de la información. Cuaderno de Contabilidad, 14(36), 1079-1095. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/7913

Sousa, L., Castro, L., Viana, D., Domingos, S., & Ponte, V. (2018). Conservadurismo condicional e adoção das IFRS: Uma análise nas empresas brasileiras de capital aberto. Enfoque Reflexão Contábil, 37(3), 21-35. http://dx.doi.org/10.4025/enfoque.v37i3.35390

Souza, A. & De Lima, D. (2014). Reconhecimento contábil da degeneração de ativos biológicos para a produção no cultivo de árvores frutíferas. Revista Contemporânea de Contabilidade, 11(22), 73-94. http://www.spell.org.br/documentos/ver/35521

Souza, F. & Lemes, S. (2016). Comparability of accounting choices in subsequent measurement of fixed assets, intangible assets, and investment property in South American Companies. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 27(71), 169-184. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201501480

Strouhal, J. (2009). Aplicação das Normas Contabilísticas Internacionais IAS 32, IFRS 7 e IAS 39 em prática das entidades empresariais da República Checa. Revista Universo Contábil, 5(4), 152-161. http://www.spell.org.br/documentos/ver/6221

Talaska, A. & De Lima, D. (2016). Nível de Disclosure de ativos biológicos nas empresas listadas na BM&Fbovespa: Análise pós-adoção do Valor Justo. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ , 21(3), 22-39. http://www.spell.org.br/documentos/ver/44485

Tavares, M., Anjos, L. & Paulo, E. (2014). Contribuições enviadas ao IASB/FASB referentes à revisão do draft de reconhecimento de receitas. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 12(3), 35-63. http://www.spell.org.br/documentos/ver/32895

Torres, F. & Rodríguez, B. (2008). La maximización de beneficios bajo los estándares internacionales de contabilidad financiera: una aproximación a las aplicaciones en las pyme. Cuaderno de Contabilidad, 4(24), 73-130. http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cuacont/article/view/3244

Vale, J. & Nakao, S. (2017). Conservadurismo incondicional nas companhias abertas brasileiras e o contexto da neutralidade tributária. Revista Contabilidade & Finanças - USP, 28(74), 197-212. http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201702450

Zonatto, V., Santos, A., Rodrigues Junior, M., & Bezerra, F. (2011). Fatores determinantes para a adoção de padrões internacionais de contabilidade no Brasil: uma investigação em empresas públicas e privadas do Setor de Energia Elétrica. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(12), 26-47. http://www.spell.org.br/documentos/ver/4933

Zortea, C., Galdi, F., Monte-mor, D., & Beiruth, A. (2017). Eficiência do mercado de capitais após a adoção da IFRS no Brasil: Aplicando o Teste de Mishkin. Revista Contemporânea de Contabilidade, 14(32), 141-156. http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n32p141
Cómo citar
Vazquez Carrazana, X., & Miranda, G. (2020). Tendencias en los estudios brasileños sobre el cambio de normativa contable. Cuadernos De Contabilidad, 21, 1-32. https://doi.org/10.11144/Javeriana.cc21.tebc
Sección
Artículos
Artículos más leídos del mismo autor/a