##plugins.themes.bootstrap3.article.main##


Iracema Ferreira de Moura

Cezar Augusto Miranda Guedes http://orcid.org/0000-0003-2287-3948

Renato Linhares de Assis http://orcid.org/0000-0003-4228-5166

Resumen

Since 2003, in Brazil, the agroecological perspective is present in punctual public policies of the federal government. In 2012, with a convergent action of the agroecological movement and the organic production, it was created the National Policy for Agroecology and Organic Production. This article presents a reconstruction of the process, while highlighting involved actors, as well as their demands and interests, ideas, and main forums. Despite its limitations and conflicts, the PNAPO is a benchmark and a political achievement, having insured the agroecological agenda in the public policies inter-related to rural development, food sovereignty, and the human right to adequate food

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Keywords
References
ABRAMOVAY, R. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo:Hucitec and Ed. da UNICAMP, 2ª ed, 1998.

ARTICULAÇÃO NACIONAL DE AGROECOLOGIA (ANA). (2012). Subsídios para o debate sobre a Política Nacional de Agroecologia e Sistemas Orgânicos de Produção. Typed.

AGUIAR, V.V.P. (2015). Somos Todas Margaridas: Um estudo sobre o processo de constituição das mulheres do campo e da floresta como sujeitos políticos. 2015. 521 f. Doctoral Thesis. University of Campinas – UNICAMP. Filosofy and Human Sciences Institute.

BAPTISTA, T. W. F.; REZENDE, M. A. (2011) ideia de ciclo na análise de políticas públicas. In MATTOS, R. A.; BAPTISTA, T. W. F. (Org.). Caminhos para análise das políticas de saúde. p.138-172. Available in: . Access: 01/16/2016.

BRAGA, J.C.; PALLUDETO, A.W. (2015). A construção novamente interrompida? Dilemas da economia brasileira no período recente (2004-2014). In: Dimensões estratégicas do desenvolvimento brasileiro. Brasil: em busca de um novo modelo de desenvolvimento. – Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, v.4, p. 19-58.

BRASIL. (2006). Presidência da República. Lei 11.326, de 24 de julho de 2006. Available in: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11326.htm>, Acess: 05 set. 2015.

BRASIL. (2011). Discurso da Presidenta da República Dilma Rousseff, durante solenidade de encerramento da Marcha das Margaridas 2011. Brasília, 17 de agosto de 2011. Available in: . Access: 03/10/2016.

BRASIL. (2012). Secretaria Geral da Presidência da República. Relatório de Mobilização e Participação Social na Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica – PNAPO. Typed.

CAPELLA, A. C. (2012). Perspectivas Teóricas sobre o Processo de Formulação de Políticas Públicas. In: HOCHMAN, G, ARRETCHE, M, MARQUES, E. (Org.) Políticas Públicas no Brasil. 3a. Reimpressão, Rio de Janeiro:Fiocruz. p. 87-122.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. (2002). A. Análise multidimensional da sustentabilidade: uma proposta metodológica a partir da agroecologia. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável, Porto Alegre: Emater/RS, v.3, n.3, p. 70-85, jul./set.

CAPORAL, F. R; PETERSEN, P. (2012) . Agroecologia e políticas públicas na América Latina: o caso do Brasil. Revista Agroecologia. n. 6, p. 63-74.

CARNEIRO, M. J. (2008). Em que consiste o familiar da agricultura familiar? In: COSTA, L.F.C; FLEXOR, G; SANTOS, R. (Orgs.) Mundo Rural Brasileiro. Ensaios interdisciplinares. Rio de Janeiro: Mauad X-EDUR.

COUTINHO, C.N. (1999). Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

DYE, T.R. (1976). The policy analysis. Alabama: The University of Alabama Press.

FAGNANI, E. (2014). Política social e desigualdade: projetos em disputa. Texto para discussão, 238. Campinas: Instituto de Economia/UNICAMP.

FREY, K. (2000) Políticas Públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Revista Planejamento e Políticas Públicas. Brasília: IPEA, n.21. p. 211-259, jun.

GLIESSMAN, S, R. (2000). Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Universidade/UFRGS.

GRISA, C.; SCHNEIDER, S. (Org.) (2015). Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

HALL, P; TAYLOR, R. (2003) As Três Versões do Neo-Institucionalismo. Revista Lua Nova, São Paulo, v. 58, p. 192-223.

HAM, Cristopher; HILL Michael. (1993). The policy process in the modern capitalist state. Londres.

HILL, M. (1993). New agendas in the study of the policy process. Harvester Wheatsheaf, Great Britain
.
HOGHOOD, B.; GUNN, L. (1984). Policy analysis for the real world. Oxford: Oxford University Press.

IMMERGUT, E.M. (2006) O Núcleo Teórico do Novo Institucionalismo. In: SARAVIA, E; FERRAZERI, E. (Org). Políticas públicas. v.1. Brasília: ENAP, p. 155-195.

KINGDON J. W. (1995). Agendas, Alternatives and Public Policies: Harper Collins College Publishers.

LINDBLOM, C E. (2006). Todavía Tratando de Salir del Paso. In: SARAVIA, E; FERRAZERI, E. (Org). Políticas públicas. v.1. Brasília: ENAP, p. 99-122.

LINDBLOM, C. E. (1981). O processo de decisão política. Brasília: Editora da Univ. de Brasília.

MENDONÇA, S.R. (2014). O Estado Ampliado como Ferramenta Metodológica. Marx e o Marxismo, v.2, n.2, jan/jul. 2014. Niterói: Universidade Federal Fluminense. Available in: . Acess: 09/15/2016.

MOREIRA, R.M.; CARMO, J.D.S. do. (2004). Agroecologia na construção do desenvolvimento rural sustentável. Agricultura, v. 51, n.2, p. 37-56.

NEVES, D. P. (2007). Agricultura Familiar: quantos ancoradouros! In: MARQUES, M. I. M.; SUZUKI, J.C.; FERNANDES, B. M. (Org.). Geografia Agrária: teoria e poder. São Paulo: Expressão Popular, p. 211-270.

PEREZ-CASSARINO, J. (2012). A construção social de mecanismos alternativos de mercados no âmbito da Rede Ecovida de Agroecologia. 2012. 450f. Doctoral Thesis. Pos graduate Program in Environment and Development at the Federal University of Paraná.

PLOEG, J.D. Van der. O modo de produção camponês revisitado. In: SCHNEIDER, S. A diversidade da agricultura Familiar. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

RUA, M. das G. (2009). Políticas Públicas. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC. Brasília Capes/UAB.

SARAVIA, E. (2006). Introdução à teoria da política pública. In: SARAVIA, E.; FERRAZERI, E. (Org.). Políticas públicas. Brasília: ENAP, p. 21-42.

SCHNEIDER, S.; NIEDERLE, P. (2008). A. Agricultura Familiar e Teoria Social: a diversidade das formas familiares na agricultura. In: FALEIRO, F.G; FARIAS NETO, A.L. (Org.) Savanas: Desafios e Estratégias para o Equilíbrio entre Sociedade, Agronegócio e Recursos Naturais. Planaltina: Embrapa Cerrados, p.989-1014.

SEVILLA-GUZMÁN, E. (2006). La Agroecologia como estrategia metodológica de transformación social. 2006. Available in: Acess in: 02/07/2013.

SILIPRANDI, E.; CINTRÃO, R. (2015) Mulheres rurais e políticas públicas no Brasil: abrindo espaços para o seu reconhecimento como cidadãs. In: GRISA, C.; SCHNEIDER, S. (Orgs.) Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, p. 571-592.

SOUZA, C. (2012). Estado da Arte da Pesquisa em Políticas Públicas. In: HOCHMAN, G, ARRETCHE, M, MARQUES, E. (Org.) Políticas Públicas no Brasil. 3a. Reimpressão. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz. p. 27-64.

TRUE, J.; JONES, B. D.; BAUMGARTNER, F.R. (2007). Punctuated-equilibrium theory: Explaining stability and change in public policy making. In: SABATIER, P. A. (Ed.) Theories of the Policy Process. Boulder: Westview Press. p. 155-187.

WANDERLEY, M. N. B. Agricultura Familiar e Campesinato: rupturas e continuidade. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro: n.21, p.42-6, out. 2003

WANDERLEY, M. N. B. (2009). Raízes históricas do campesinato brasileiro. In WANDERLEY, M. N. B. O mundo rural como um espaço de vida: reflexões sobre a propriedade da terra, agricultura familiar e ruralidade. Porto Alegre: UFRGS.

WILDAVSKY, A. (1979). Speaking truth to power: the art and craft of policy analysis. Boston.
Cómo citar
Moura, I., Guedes, C., & Assis, R. (2017). Agroecology in the Brazilian government agenda: developments between 2011 and 2014. Cuadernos De Desarrollo Rural, 14(79), 1-15. https://doi.org/10.11144/Javeriana.cdr14-79.abga
Sección
Artículos Investigación
Artículos más leídos del mismo autor/a