##plugins.themes.bootstrap3.article.main##


Carlos Alberto Motta Cunha http://orcid.org/0000-0002-1981-7120

Resumen

A desvinculação epistêmica proposta pela decolonialidade revela não só a colonização do saber, como a do poder e do ser também, pelas culturas dominantes. Uma forma de saber construído nos espaços liminares, nas fronteiras da diferença colonial, na perspectiva do subalterno, está deslocando e absorvendo as formas hegemônicas do conhecimento e empoderando novos movimentos de emancipação. A teologia cristã é afetada por tal contexto e interpelada ao exercício libertador de remexer a sua base e repensar as suas categorias a partir de outros lugares de enunciação. O nosso objetivo é mostrar os passos necessários para uma formação teológica decolonial.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Keywords

Desafio decolonial, teologias latino-americanas, teologia da libertação, Paulo Freire

References
Ballestrin, Luciana. “América Latina e o giro decolonial”. Revista brasileira de ciência política 11 (2013): 89-117.

Brighenti, Agenor. “Natureza, lugar e função da teologia: inovações da teologia latinoamericana”. In: Espiritualidade e dinâmicas sociais: memória – prospectivas, organizado por Roberlei Panasiewics e Jaldemir Vitório, 163-184. São Paulo: Paulinas-Sociedade de Teologia e Ciências da Religião, Soter, 2014.

_____. “Teologia e pluralismo religioso: questões metodológicas”. In Por uma teologia planetária, organizado por José Mariá Vigil, 81-92. São Paulo: Paulinas, 2011.

Cardoso, Nancy. “O futuro do presente da leitura biblica latino-americana”. Voices of South: Theological Journal of EATWOT 4 (2014): 147-170.

Comblin, José. Introdução geral ao Comentário Bíblico: leitura da bíblia na perspectiva dos pobres. Petrópolis: Vozes, 1985.

Cunha, Carlos. Hermenêutica bíblica libertadora: encontros entre católicos e pentecostais. São Paulo: Garimpo, 2016.

_____. “Teologia pública e o conceito de ‘fronteira’ no pensamento de Paul Tillich”. Revista atualidade teológica 40 (2012): 109-119.

Dussel, Enrique. “Descolonização epistemológica da teologia”. Concilium 350 (2013): 19-30. Fitzmyer, Joseph. A Bíblia na Igreja. São Paulo: Loyola, 1997.

Fornet-Betancourt, Raúl. “La interculturalidad a prueba”. Universidad Centroamericana José Simeón Cañas, UCA, http://www.uca.edu.sv/filosofia/admin/files/1210106845.pdf (consultado em 28 de março de 2017).

Freire, Paulo. Ação cultural para a liberdade (5ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

_____. Pedagogia do oprimido (47. ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.
Geffré, Claude. Como fazer teologia hoje: hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas, 1989.

Grosfoguel, Ramón. “Para decolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global”. Revista crítica de ciências sociais 80 (2008): 115-147.

Gutiérrez, Gustavo. Teologia da libertação: perspectivas. São Paulo: Loyola, 2000.

Jacobsen, Eneida. “Modelos de teologia pública”. In Teologia pública em debate, organizado por Ronaldo Cavalcante e Rudolf von Sinner, 53-70. São Leopoldo: Sinodal, 2011.

Löwy, Michael. O que é cristianismo da libertação? Religião e política na América Latina. São Paulo: Fundação Perceu Abramo: Expressão Popular, 2016.

Mignolo, Walter. “Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política”. Cadernos de letras da UFF. Dossiê: literatura, língua e identidade 34 (2008): 305.

_____. Histórias locais/Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

_____. La idea de América Latina. La herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Gedisa, 2007.

Palermo, Zulma; e Pablo Quintero (coords.). Aníbal Quijano: textos de fundación.

Buenos Aires: Editorial: Ediciones del Signo, 2016. Panotto, Nicolás. “Decolonizar la educación teológica: hacia una ecologia de saberes teológicos en América Latina”. Academia, http://www.academia.edu/27110864/
Decolonizar_la_educaci%C3%B3n_teol%C3%B3gica_hacia_una_
ecolog%C3%ADa_de_saberes_teol%C3%B3gicos_en_Am%C3%A9rica_Latina (consultado em 28 de março de 2017).

Passos, Décio. “A construção do conhecimento legítimo: percursos e desafios para a teologia pública no Brasil”. Estudos de religião 41 (2011): 57-76.

Pui-Lan, Kwok. Globalização, gênero e construção da paz: o futuro do diálogo interfé. São Paulo: Paulus, 2015.

Quijano, Aníbal. “Colonialidad del poder y clasificación social”. Clacso, http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/se/20140506032333/eje1-7.pdf (consultado em 21 de março de 2017).

Santos, Boaventura de Sousa. “Os direitos humanos na zona de contacto entre globalizações rivais”. Cronos 1 (2007): 23-40.

_____. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos (2.° ed.). São Paulo: Cortez, 2014.

Segundo, Juan Luis. Libertação da teologia. São Paulo: Loyola, 1978.
Tamayo, Juan José. Teologías del Sur: el giro descolonizador. Madrid: Trotta, 2017.

_____. “Teologia para outro mundo é possível”. In Teologia para outro mundo possível, organizado por Luiz Carlos Susin, 437-453. São Paulo: Paulinas, 2006.

Tillich, Paul. Teologia sistemática (5.ª ed. rev.). São Leopoldo: Sinodal, 2005.

Vigil, José Mariá (org.). Por uma teologia planetária. São Paulo: Paulinas, 2011.
Cómo citar
Motta Cunha, C. (2018). Apontamentos introdutórios sobre o desafio decolonial para as teologias latino-americanas. Theologica Xaveriana, 68(185). https://doi.org/10.11144/javeriana.tx68-185.aiddtl
Sección
Artículos
Artículos más leídos del mismo autor/a