##plugins.themes.bootstrap3.article.main##


Mota Batista Lúcius https://orcid.org/0000-0002-7260-4546

Resumen

Neste artigo, foram estudadas pela primeira vez todas as obras contidas no catálogo de Osvaldo Lacerda escritas para oboé. Ao considerar em conjunto as obras de um compositor, vislumbra- se com maior profundidade como o mesmo concebe a escrita idiomática de um instrumento em particular (Mota e Louro 2014; Tokeshi 2002; Zorzetti 2008). O objetivo do artigo é argumentar que para Lacerda a característica mais importante do oboé é o lirismo e que ele buscou explorar essa particularidade do oboé acima das demais. Os procedimentos metodológicos incluíram análise e comentários de onze obras para oboé de Osvaldo Lacerda interpretadas sob a ótica do conceito de identidade cultural do oboé (Burgess e Haynes 2004). Entre os resultados discutidos estão questões sobre o idiomatismo, demandas técnicas e possibilidades de uso didáticos do conjunto. A análise das obras sugere que, para Lacerda, o oboé era um vocal na sua essência, razão pela qual, em sua abordagem do instrumento, optou por se manter próximo a certos princípios ligados à técnica e identidade do oboé desde o século XVIII. O artigo avança para além de discussões sobre a forma e a adesão de Lacerda ao nacionalismo musical brasileiro, buscando dar uma interpretação ao conjunto desde uma ótica do oboísta. As obras de Lacerda para oboé quase sempre são peças características cujos títulos remetem a gêneros típicos do nacionalismo musical brasileiro. Por outro lado, os títulos das obras fazem referências a arquétipos do nacionalismo brasileiro através das referências musicais e geográficas, remetendo-se ao Sertão, Interior e a espaços urbanos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Keywords

escritura idiomática; música brasileña del siglo XX; identidad cultural del oboe.

References
Audi, Carlos Eduardo. 2006. “Osvaldo Lacerda: His importance to Brazilian importance to Brazilian music and elements of his musical style”. Tese de Doutorado, Florida State University, Tallahassee, Estados Unidos.

Barros, Alexandre e Miguel Rosselini. 2011. Música para oboé e piano. Belo Horizonte: Independente.

Burgess, Geoffrey, e Bruce Haynes. 2004. The oboe. New Haven, CT: Yale University Press.

Casella, Alfredo, e Virgilio Mortari. 1950. La técnica de la orquestra contemporanea. Roma: Ricordi.

Duarte, Isaac, e Mônica Kato. 1999. Palheta brasileira. Zürich: MDS Records.

Lacerda, Osvaldo. 2001. “Meu professor Camargo Guarnieri”. Em Camargo Guarnieri: o tempo e a música, 57–67. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial.

Manning, Dwight. 2005. Oboe music from the Americas. Athens, GA: ACA Digital.

MacCarthy, Keri. 2013. “Osvaldo Lacerda: four pieces for oboe and piano”. The Double Reed, 36 (1): 166.

Marcondes, Marcos Antônio, e Oneyda Alvarenga. 1977. Enciclopédia da Música Brasileira: erudita, folclórica, popular. São Paulo: Art Editora.

Mota, Lúcius, e Ana Lúcia Louro. 2014. “O conjunto de obras para oboé de Ernst Mahle: o olhar do oboísta professor”. Em XXIV Congresso da Anppom - São Paulo/SP. http://www.anppom.com.br/congressos/index.php/24anppom/SaoPaulo2014/paper/view/2618. (Acesso em 25 de abril de 2016).

Peixoto, Valéria. 2013. Osvaldo Lacerda: catálogo de obras. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música. http://abmusica.org.br/downloads/catalogo_o.lacerda_v2_web.pdf. (Acesso em 25 de abril de 2016).

Rimsky-Korsakov, Nicolas. 1946. Principios de orquestracion: con ejemplos sacados de sus propias obras. Tomo I. Buenos Aires: Ricordi Americana.

Rodrigues, Ricardo, e Luiz Senise. 1978. O oboé na música brasileira. Rio de Janeiro: Funarte.

Ryon, James, Mark George, e Regina Mushabac. 2002. Songs of innocence and experience: 20th century Brazilian Chamber Music for oboe, cello and piano. Ham Lake, MN: Jeanné Digital.

Silva, Caetana Juracy Rezende. 2003. “Duetos para oboés como material pedagógico: arranjos e transcrições de obras de compositores brasileiros. Goiânia”. Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Goiás, Brasil.

Stein, Leon. 1979. Structure and style: the study and analysis of musical forms. Kindle edition. Los Angeles, CA: Alfred Music.

Tokeshi, Eliane. 2002. “As sonatas e sonatinas para violino e piano de Ernst Mahle: uma abordagem dos aspectos estilísticos”. Per Musi, 3: 43–56.

Villalba, Gustavo Nápoli. 2000. “Aboio para oboé e piano de Osvaldo Lacerda”. Em I Seminário Nacional de Pesquisa em Performance Musical, 170–74. Belo Horizonte: PPGMUS-UFMG.

Zorzetti, Denise. 2008. “Sugestão de repertório para o ensino do piano através de um panorama da obra
de Osvaldo Lacerda”. Musica Hodie, 8 (1): 37–54.
Cómo citar
Lúcius, M. (2018). O oboé lírico de Osvaldo Lacerda: um olhar sobre seu conjunto de obras para oboé. Cuadernos De Música, Artes Visuales Y Artes Escénicas, 13(2), 175-187. https://doi.org/10.11144/javeriana.mavae13-2.oold
Sección
Fuera de Dossier
Artículos más leídos del mismo autor/a