Publicado Oct 2, 2020



PLUMX
Almetrics
 
Dimensions
 

Google Scholar
 
Search GoogleScholar
Descargas


Dixis Figueroa Pedraza https://orcid.org/0000-0002-5394-828X

Eduarda Emanuela Silva dos Santos http://orcid.org/0000-0002-3369-8930

Maria Mônica de Oliveira https://orcid.org/0000-0002-2775-4318

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Resumen

El objetivo de este estudio es capacitar a profesionales de la salud de la Estrategia Salud de la Familia para el desarrollo de las acciones de alimentación y nutrición, por medio de una propuesta de intervención que consistió en talleres de diagnóstico, capacitación y evaluación. Para el diagnóstico, los profesionales respondieron un cuestionario de conocimientos. Los resultados obtenidos fueron considerados para la organización de los talleres de capacitación, los cuales fueron evaluados por los profesionales usando un formulario estándar con diferentes ítems de juicio. Los hallazgos incluyeron, además de desconocimiento en relación con algunos aspectos básicos de nutrición, falta de conocimiento técnico de los profesionales de la salud para trabajar las acciones de alimentación y nutrición en la atención básica. A pesar de reconocer su importancia, los profesionales no visualizan las acciones de nutrición en las perspectivas de vigilancia, interdisciplinaria e intersectorial. Acerca de la capacitación, las evaluaciones realizadas por los profesionales fueron positivas en la mayoría de los temas abordados y en los ítems de juicio.

Keywords

Salud pública, atención primaria en salud, estrategia salud de la familia, evaluación en salud, políticas de nutrición y alimentaciónSaúde pública, atenção primária à saúde, estratégia saúde da família, avaliação em saúde, políticas de nutrição e alimentaçãoPublic health, primary health care, family health strategy, health evaluation, nutrition and food policies

References
1. Sumar N, Fausto MCR. Atenção Primária à Saúde: a construção de um conceito ampliado. J Manag Prim Health Care. 2014;5(2): 202-212.

2. Oliveira MAC, Pereira IC. Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Rev Bras Enferm. 2013;66(Esp.): 158-164.

3. Oliveira VBCA, Veríssimo MLOR. Assistência à saúde da criança segundo suas famílias: comparação entre modelos de Atenção Primária. Rev Esc Enferm USP. 2015;49(1): 30-36.

4. Silva LA, Casotti CA, Chaves SCL. A produção científica brasileira sobre a Estratégia Saúde da Família e a mudança no modelo de atenção. Cienc Saude Colet. 2013;18(1): 221-232.

5. Jaime PC, Santos LMP. Transição nutricional e a organização do cuidado em alimentação e nutrição na Atenção Básica em Saúde. Divulgação Saúde Debate. 2014;51: 72-85.

6. Junqueira TS, Cotta RMM. Matriz de ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica de Saúde: referencial para a formação do nutricionista no contexto da educação por competências. Cienc Saude Colet. 2014;19(5): 1459-1474.

7. Pimentel VRM, Sousa MF, Hamann EM, Mendonça AVM. Alimentação e nutrição na Estratégia Saúde da Família em cinco municípios brasileiros. Cienc Saude Colet. 2014;19(1): 49-57.

8. Cervato-Mancuso AM, Tonacio LV, Silva ER, Vieira VL. A atuação do nutricionista na Atenção Básica à Saúde em um grande centro urbano. Cienc Saude Colet. 2012;17(12): 3289-3300.

9. Recine E, Sugai A, Monteiro RA, Rizzolo A, Fagundes A. Saúde coletiva nos cursos de Nutrição: análise de projetos político-pedagógicos e planos de ensino. Rev Nutr. 2014;27(6): 747-760.

10. Ministério da Saúde do Brasil. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

11. Ministério da Saúde do Brasil. Portaria nº 55, de 6 de janeiro de 2017. Estabelece incentivo de custeio para a estruturação e implementação de ações de alimentação e nutrição pelas Secretarias de Saúde dos municípios que possuem população entre 30.000 e 149.999 habitantes (IBGE) e do Distrito Federal, com base na Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN). Diário Oficial da União Jan 2017;18 Jan.

12. Ministério da Saúde do Brasil. Portaria nº 2.706, de 18 de outubro de 2017. Lista os Municípios que finalizaram a adesão ao Programa Saúde na Escola para o ciclo 2017/2018 e os habilita ao recebimento do teto de recursos financeiros pactuados em Termo de Compromisso e repassa recursos financeiros para Municípios prioritários para ações de prevenção da obesidade infantil com escolares. Diário Oficial da União Out 2017;20 Out.

13. Organización Mundial de la Salud. Patrones de Crecimiento del Niño de la OMS: Curso de Capacitación sobre la evaluación del crecimiento del niño. Ginebra: OMS; 2008.

14. Ministério da Saúde do Brasil. Oficina de qualificação do NASF. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. (Série C. Projetos Programas e Relatórios).

15. Figueroa Pedraza D. Growth surveillance in the context of the primary public healthcare service network in Brazil: literature review. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2016;16(1): 7-19.

16. Billah SM, Saha KK, Khan ANS, Chowdhury AH, Garnett SP, Arifeen SE, et al. Quality of nutrition services in primary health care facilities: Implications for integrating nutrition into the health system in Bangladesh. PLoS ONE. 2017;12(5): e0178121.

17. Saha KK, Billah M, Menon P, Arifeen SE, Mbuya NV. Bangladesh National Nutrition Services: Assessment of implementation status. Daca: World Bank Publications; 2015.

18. Vieira VL, Cervato-Mancuso AM. Professional training in the context of food and nutrition security. Primary Health Care Research Development. 2015;16: 540-544.

19. Sunguya BF, Poudel KC, Mlunde LB, Urassa DP, Yasuoka J, Jimba M. Nutrition training improves health workers’ nutrition knowledge and competence to manage child undernutrition: a systematic review. Front Public Health. 2013;24(1): 37.

20. Kris-Etherton PM, Akabas S, Douglas P, Kohlmeier M, Laur C, Lenders CM, et al. Nutrition Competencies in Health Professionals’ Education and Training: A New Paradigm. Adv Nutr. 2015;6: 83-87.

21. Kris-Etherton PM, Akabas SR, Bales CW, Bistrian B, Braun L, Edwards MS, et al. The need to advance nutrition education in the training of health care professionals and recommended research to evaluate implementation and effectiveness. Am J Clin Nutr. 2014;99(suppl): 1153S-1166S.

22. Aguiar CB, Costa NMSC. Formação e atuação de nutricionistas dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Rev Nutr. 2015;28(2): 207-216.

23. Ricardi LM, Sousa MF. Educação permanente em alimentação e nutrição na Estratégia Saúde da Família: encontros e desencontros em municípios brasileiros de grande porte. Cienc Saude Colet. 2015;20(1): 209-218.

24. Fittipaldi ALM, Barros DC, Romano VF. Apoio Matricial nas ações de Alimentação e Nutrição: visão dos profissionais. Physis Revista de Saúde Coletiva. 2017;3: 793-811.

25. Recine E, Gomes RCF, Fagundes AA, Pinheiro ARO, Teixeira BA, Sousa JS, et al. A formação em saúde pública nos cursos de graduação de nutrição no Brasil. Rev Nutr. 2012;25(1): 21-33.

26. Vieira VL, Utikava N, Cervato-Mancuso AM. Professional practice relating to food and nutritional security from the perspective of coordinators of undergraduate nutrition courses. Interface - Comunic Saude Educ. 2013;17(44): 157-170.

27. Oliveira TG, Nascimento SVS, Moreira PVL. O Programa Nacional de Suplementação de Ferro na Ótica dos Profissionais de Nutrição do Município de Cabedelo-PB. Rev Bras Ciências Saúde. 2014;18(2): 121-130.

28. Brito VRS, Vasconcelos MGL, Diniz AS, França ISX, Pedraza DF, Peixoto JBS, et al. Percepção de profissionais de saúde sobre o programa de combate à deficiência de vitamina A. Rev Bras Promoç Saúde. 2016;29(1): 93-99.

29. Figueroa Pedraza D, Santos IS. Profile and performance of nutritionists in Primary Health Care. Rev Nutri. 2017;30(6): 835-845.

30. Reichert APS, Almeida AB, Souza LC, Silva MEA, Collet N. Vigilância do crescimento infantil: conhecimento e práticas de enfermeiros da atenção primária à saúde. Rev Rene. 2012;13(1): 114-126.

31. Abreu T, Viana L, Cunha C. Desafios na utilização da caderneta de saúde da criança: entre o real e o ideal. J Manag Prim Health Care. 2012;3(2): 80-83.

32. Almeida AC, Mendes LC, Sad IR, Ramos EG, Fonseca VM, Peixoto MV. Uso de instrumento de acompanhamento do crescimento e desenvolvimento da criança no Brasil - Revisão sistemática de literatura. Rev Paul Pediatr. 2016;34(1): 122-131.

33. Figueroa Pedraza D, Menezes TN, Costa GMC. Ações de alimentação e nutrição na estratégia saúde da família: estrutura e processo de trabalho. Rev Enferm UERJ. 2016;24(4): e15848.

34. Camossa ACA, Telarolli JR, Machado MLT. O fazer teórico-prático do nutricionista na estratégia saúde da família: representações sociais dos profissionais das equipes. Rev Nutr. 2012;25(1): 89-106.

35. Dornelles AD, Anton MC. A percepção dos profissionais da saúde acerca da atenção ao sobrepeso e à obesidade infantil no Sistema Único de Saúde (SUS). Aletheia. 2013;41: 53-66.

36. Rodrigues DCM, Bosi MLM. O lugar do nutricionista nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Rev Nutr. 2014;27(6): 735-746.

37. Nunes PT, Monteiro RA, Santos LMP. Alimentación y nutrición en atención primaria en Brasil. Gac Sanit. 2018;32(3): 297-303.

38. Rollins NC, Bhandari N, Hajeebhoy N, et al. Lancet breastfeeding series: why invest, and what it will take to improve breastfeeding practices in less than a generation. Lancet. 2016;387: 491-504.

39. Rigon AS, Schmidt ST, Bógus CM. Desafios da nutrição no Sistema Único de Saúde para construção da interface entre a saúde e a segurança alimentar e nutricional. Cad Saúde Pública. 2016;32(3): e00164514.

40. Falkenberg MB, Mendes TPL, Moraes EP, Souza EM. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Cienc Saude Colet. 2014;19(3): 847-852.

41. Franco-Giraldo A. El rol de los profesionales de la salud en la atención primaria en salud (APS). Rev Fac Nac Salud Pública. 2015;33(3): 414-424.

42. Campos AAO, Cotta RMM, Oliveira JM, Santos AK, Araújo RMA. Aconselhamento nutricional de crianças menores de dois anos de idade: potencialidades e obstáculos como desafios estratégicos. Cienc Saude Colet. 2014;19(2): 529-538.

43. Sunguya BF, Poudel KC, Mlunde LB, Shakya P, Urassa DP, Jimba M, et al. Effectiveness of nutrition training of health workers toward improving caregivers’ feeding practices for children aged six months to two years: A systematic review. Nutr J. 2013;20: 12-66.
Cómo citar
Figueroa Pedraza, D., Silva dos Santos, E. E., & de Oliveira, M. M. (2020). Capacitación de profesionales de la salud en la Estrategia Salud de la Familia para la ejecución de las acciones de alimentación y nutrición. Gerencia Y Políticas De Salud, 19, 1-21. https://doi.org/10.11144/Javeriana.rgps19.cpse
Sección
Artículos